• if_facebook_395306
  • if_Instagram_381384
  • if_f-linkedin_256_282465
  • if_Youtube_1298778

Hérnias da Parede Abdominal - Perguntas Frequentas

 Mesmo tendo hérnia há muitos anos é necessário operar? 

Sim. A tendência, com o passar do tempo, é que a hérnia aumente e se torne mais difícil de tratar. Além disto, há o risco do encarceramento / estrangulamento de uma víscera abdominal, levando à necessidade de tratamento de urgência e risco de complicações pós-operatórias.

 Vai colocar tela? 

Habitualmente, para as hérnias epigástricas e umbilicais, a utilização de tela é individualizada, ou seja, depende de cada situação. Muitas vezes, a decisão termina sendo tomada no intra-operatório. Já para as hérnias inguinais (virilha) e incisionais, habitualmente se utiliza a tela com o intuito de diminuir a chance de recidiva.

 De que material é feito a tela? Vai ficar no corpo para sempre ou vai ser retirada depois? 

As telas mais comumente utilizadas são feitas do material sintético chamado de polipropileno. Trata-se de um material inerte, resistente e que não é absorvida pelo organismo. Após algumas semanas de pós-operatório, integra-se completamente com os tecidos orgânicos. A tela não é retirada. Em situações específicas e menos comuns, pode ser necessária a utilização de telas compostas de outros materiais.

 

 E se der rejeição? 

Atualmente é bem menos comum a rejeição da tela. Isso se deve pelo avanço na tecnologia de engenharia das telas e componentes utilizados. Entretanto, é possível que haja infecção da ferida. A retirada da tela é considerada uma medida extrema, não necessariamente é uma regra, e outras medidas podem ser tentadas.

 Que tipo de anestesia é utilizada? 

Todas as correções de hérnia que se propõe a fazer por via minimamente invasiva (videolaparoscopia e robótica) necessitam de anestesia geral. Em casos de cirurgia convencional (aberta), pode ser realizada também a anestesia raquidiana ou até mesmo local (menos comum).

 Quanto tempo depois da cirurgia o paciente tem alta hospitalar? 

Habitualmente, a alta hospitalar ocorre dentro de cerca de 24 horas do pós-operatório.

 Tem alguma restrição alimentar? 

A princípio, não existe nenhuma restrição a alimentos específicos. Entretanto, é recomendado evitar alimentos que levem à prisão de ventre como os à base de farinhas (bolachas, massas, pães) e frutas com casca (maçã, pêra) pela eventual necessidade de maior esforço evacuatório no pós operatório.

 Precisa usar antibiótico? 

A princípio, as cirurgias para correção das hérnias abdominais são consideradas limpas, mesmo quando se utiliza tela. Isto significa que o uso rotineiro de antibióticos não está recomendado e não previne que haja infecção posteriormente.

 Quanto tempo para retomar a vida normal após a cirurgia? 

Habitualmente, o paciente tem alta hospitalar em até 24 horas após a cirurgia. Geralmente fica afastado do trabalho por quinze dias ou mais a depender da ocupação que exerça. Após um período de cerca de 30 dias poderá retomar a prática de esportes. Esses períodos são variáveis de acordo com o porte da cirurgia, local, perfil do paciente e recuperação pós-operatória.